Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A eterna questão....

A propósito deste post, o Hugo, homem extremo bom gosto e com clara tendência para escolhas  de leitura inteligentes, deixou-me um comentário simpático, porém (sentindo-se ofendido perante a implícita crítica ao ‘’demorado coco masculino'') , levantou a eterna e repetida questão: afinal, porque é que as mulheres vão juntas à casa de banho?  Foi assim uma espécie de ‘’nós demoramos a deitar tudo cá para fora, e vocês, suas sonsas, que vão todas juntinhas enfiar-se nas casas de banho públicas?’’.         

 

Caro Hugo, e restante homem(zarrada): não se apoquentem mais com esse assunto menor. A resposta é simples e rápida, acabando-se já aqui o mistério em três paulitadas.

 

Basicamente, nós mulheres, vamos juntas à casa de banho para dizer tudo aquilo que não pode ser pronunciado em público.

Vamos imaginar um jantar de amigos:  toda a gente vai, todos levam as respectivas e respectivos, todos convivem, comem e bebem, entre brindes, pão com manteiga e gargalhadas. Só que nós, mulheres, safadonas por natureza, nunca dizemos tuuudoooo o que nos passa pela cabeça ao longo da noite, ali, na amena cavaqueira. Ah pensavam que sim? Pois, desenganem-se. Seja pelo comentário que o ‘’Zé Manel’’ fez à chegada, e que não caiu bem a ninguém, seja pelo decota da ‘’Francisca Isabel’’ que desde que se separou está a pôr a carne toda no assador (assim mesmo à descarada), seja pela nova namorada daquele amigo que volta e meia apresenta ''uma nova'' ao grupo, ou mesmo só para partilhar aquela mensagem que recebemos há meia hora, que queremos muito que a amiga veja, para nos dar opinião sobre fulano/ beltrano... não interessa. Publicamente fazemos o nosso papel, conversamos, coiso e tal pardais ao ninho… mas depois, quando queremos MESMO conversar, damos um pulinho à casa de banho… entendem? É tipo o ‘’bora ali fumar um cigarrinho à rua’’, estão a ver?

 

Pois, é só isto. Ou, em ultima instância, recorrendo a uma explicação muito menos gira porém igualmente válida, porque precisamos que alguém nos segure no casaco/ na mala, enquanto fazemos o nosso xixi, de cócaras, rezando para que o nosso sagrado traseiro não toque nas loiças rançosas das casas de banho da vida…. ( ahhhhhh, e quando o xixi nunca mais acaba, e até nos temem as perninhas? É nessa altura que sinto a falta de ginásio/agachamentos Estou uma avó). 

 

Bom, está explicado.

 

 

Love*

 

Elza

 

 

 

1 comentário

Comentar post