Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A minha colega nova.

Uma das coisas que me está escarrapachada no rosto é minha falta de jeito para as lides domésticas! Eu pelo menos acho que sim. Que se me cruzasse comigo na rua pensaria “ oh, flhinha, és muito simpática(zinha), muito bem disposta, muito "trólóló", mas na hora de ligar o forno deves correr para o telefone e pedis um “help” à xô-dona-mãe”. É Tal-qual.

Posto isto, não é preciso muito para que qualquer mulher pirosona "sambe" na minha cara. Não é preciso chegar propriamente a presidente do sindicato das "prendadas", para me enfiar na chinela barata. Mas chegou senhores, ela chego!

Há semanas, veio uma nova colega aqui para estaminé. E é simpática, querida, prestável, tudo muito bem, muito lindo, tudo muito certo! O que se quer é gente boa, que traga bom ambiente e que facilite os dias nesta profissão, que volta e meia nos desafia a cortar os pulsos!

A minha colega nova é tudo aquilo de que vos falei e mais um xiripiti! A minha colega nova traz fruta partida num Tupperware todo XPTO, e uma faquinhas ainda mais catita do que o raio da caixa. A minha colega prepara o almoço em marmitas ultra sofisticadas, com compartimentos e cenas fixes. Cozinha polvo com batata doce para o almoço, imaginem! Eu, num dia bom, mexo dois ovos com fiambre de peru e festa feita! A minha colega, trouxe hoje um bolo de chocolate para a equipa que é só assim das melhores coisinhas que me passou pelo esófago nos últimos anos! Desculpa progenitora-rainha-do-bolo-de-chocolate, mas este é o céu achocolatado! E diz que sabe fazer queijadas (igualinhas às de Sintra), e bolos vários, e cenas ultra complexas que me fazem sentir um coco-mole-embalado.

Tenho a certezinha absoluta que se me desse a receita do bolo-mousse-jesus-ainda-bem-que-se-acabou-a-praia-e-as-carnes-de-fora, eu seguiria a receita à risca... e mesmo assim sairia qualquer coisa como um tijolo! É triste mas é esta a minha realidade.

A minha nova colega de open space faz-me sentir a bastarda das fadas do lar. A pobrezinha das mulheres prendadas…. E ainda por cima é querida. E simpática.

Merda, tenho de aprender pelo menos a fazer “pudim do velhote”.

3 comentários

Comentar post