Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As marmitas dançam todas no folclore, não dançam?

Preciso urgentemente "feirar" uma marmita nova. Aliás, a palavra "nova" nem se justifica porque a bem dizer não tenho nenhuma há mais de seis meses. Sim, seis meses. "Ahhhh andas a almoçar fora todos os dias, sua sonsa ricalhaça disfarçada de pé rapada". Não pessoas, o que se sucede é que ando a levar o almoço num saquinho de papel para o estaminé. Yes, isso mesmo. Há dias que levo um saquinho Zara (pitéu mediano), outros em que o almoço vai mais finório no saquinho Massimo Dutti (pitéu gostosão)  e ainda há vezes em que o almoço é “redom" * e sai à cena um saquinho Primark. Uma vergonha, eu sei.

A pessoa até pode sair de casa toda montada, em bom, mas o tal saquinho-versão-marmita debaixo do braço borra logo a pintura toda! Bem sei.

Decidi assim fechar os olhos à forretice que muitas vezes me cega e comprar uma marmita. A questão é que todas as marmitas que vejo são fundadoras do grupo folclórico dos marmiteiros, no bairro delas.

Todas têm florinhas, risquinhas, bolinhas, quadradinhos, e outros inhos azuis, amarelos, laranjas e verdes. Não há por aí marmitas discretas, elegantes, que a pessoa nem percebe bem que de uma marmita se trata? Marmitas que se confundam com pequenas bolsas, em que não sabemos exactamente se o que está lá dentro são documentos ultra importantes, se rissóis de camarão com arroz de tomate?

Queridos leitores,  caso tenham conhecimento de estabelecimentos que vendam marmitas mais “senhoras” , please enviem-me um help.

Que os sacos estão a acabar e eu sou uma pessoa sem nível.  Profundamente agradecida. 

 

*REDOM = RESTOS DE ONTEM :)

14 comentários

Comentar post