Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Nunca acreditem nas nossas caras de Santas. Sim, homens....estou a falar com vocês!

No outro dia, a ver um filme com o homem, a personagem  principal mentia ao marido para ir jantar com um ex namorado. Por sua vez, a secretária do marido fingia-se de muito boazinha, numa de o sacar à socapa, na primeira oportunidade.

E ao vermos o filme, eu lia nos olhos dele uma total e absoluta certeza de que aquelas mulheres agiam de boa fé. Na esposa macaca, que aos olhos dele tinha aceite o convite para jantar sem que lhe tivesse passado pela moleirinha como é que aquilo ia acabar. Mais ainda na secretária boazona,  que não estava assim tão mal intencionada, e que inicialmente só queria ser amiga do patrão! 

E aquele acreditar começou  a borbulhar-me cá dentro.A acender a luzinha "alerta vermelho" junto às saídas de emergência do pequeno órgão vital. 

 

Dei por mim a pensar que, se por um lado nós partimos todas do princípio que os gajos são bandidos, eles por sua vez acreditam quase sempre que à partida nós somos moças inocentes. 

 

Lá continuei a ver o filme, com muita vontade de interromper a sessão e explicar-lhe que não é beeeem assim. (Não vá uma bandida qualquer aparecer-lhe à frente, com cara de sonsa mal parida, e deixá-lo embeiçado por tanta ingenuidade sensualona. NUUUNCA fiando, amigas, nuncaaaa fiando. 

 

Então é assim, homens de Deus: Vocês nunca, tipo NEEEEEVER, acreditem em nós infinitamente. Quer dizer, acreditem na nossa palavra, mas não acreditem na inocência dos nossos passos. Nós, mulherada, fazemos praticamente tudo com intenção. E raras vezes dizemos o que quer que seja sem motivo, sabendo para aí com 10 horas de antecedência para onde queremos levar a conversa. Antes de vocês começarem a pensar, já nós descortinámos tudo, e estudámos todas as possibilidades, eventualidades, e escapatórias! Sim, isto somos nós, senhores. Praticamente uns monstros da premeditação, isentos de ingenuidade ou de qualquer santidade! Pelo menos a partir de certa idade, vá.  

Nós somos efectivamente umas moças a apontar para o calculistas, raposas velhas e matreironas. É isto que nós somos. 

Por isso, quando acharem que nós estamos apenas a ser simpáticas, a deixar rolar, a aleatoriamente puxar aquele assunto, a encaminhar-vos para dado local.... abram o olho. 

 

Nós sabemos quase sempre como é que a coisa vai acabar, ou pelo menos onde queremos que acabe! Raras vezes nos apanham desprevenidas. Por isso, quando a boazudo do escritório vos for à sala perguntar se "está tudo bem", não é só para ser simpática. Quando convidarem aquela amiga para um café, e acharem que ela ainda não percebeu o que é que vocês têm em mente... oh filhos, elas sabes! Quando olharem para nós e vos sentirem estupidamente atraídos pela nossa ingenuidade, fragilidade, inocência... pensem que nós somos muita coisa, que temos muitos atributos. Mas inocentes... não é um deles, definitivamente. 

Acreditem.

 

Love*

Elza 

 

PS CLARO que há excepções, não venham já todas esgatanhadas defender o gang das puras-ingenuas-santas-e-coiso. Tenham dó de mim. 

 

4 comentários

Comentar post