Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O meu amigo secreto neste Natal és tu...minha Vandinha!

4YMgPrlkYl5LeM8QdjdKAA-Logotipo.png

 

Tenho tentado evitar isto. Juro pelos santinhos todos. Longe de mim, especialmente nesta época carregadinha de amor e cenas, vir para aqui assumir um certo favoritismo, ou amassar o ego dos meus queridos leitores, a quem neste Natal enviava uma sombrinhita de chocolate  Regina,  se me permitido fosse! 

Contudo, e apesar de serem todos amores de sua mãe, o Natal é também um período de verdade-verdadinha, de agradecimento, e de manifestações de afecto. E nesta panóplia de "cutxi-cutixs-pinheirinho" não consigo deixar de escrever um sentido agradecimento à minha Vandinha.

E quem é a Vandinha? Perguntam vocês, curiosos e desatentos!

A Vandinha é a mais dedicada, a mais presente e a mais "berdadeira" das minhas queridas leitoras. A Vandinha é a primeira pessoa o pôr o pé no meu humilde estaminé, todo o santo dia. A Vandinha é a leitora que mal sai um post do forno já está com a faca e a manteiga na mão,  pronta para barrar toda uma caixa de mensagens com manteiguinha de vaca. Ou talvez deixemos a manteiguinha de lado e foquemo-nos apenas na vaca, vá.

Sim, porque se eu soubesse onde mora a minha Vandinha, seria a primeira a enviar-lhe um presente estilo amigo secreto. E porque não a vaquinha do presépio, que é nada mais nada menos do que o meu berloque natalício favorito? Era agora.

Ao longo deste 2017, a Vandinha encheu a minha caixa de mensagens incansavelmente,  lutando afincadamente pela minha sanidade mental,e impedido que levantasse os pés do chão,  ou que me iludisse com elogios mentirosões.

Ora então vejamos os comentários às ultimas publicações:

 

NESTA FOTO: “Vandinha: que pernas gordas”

NESTA FOTO:”Vandinha: Acho que fica ridículo. Parece uma doente mental que fugiu do manicómio” ou  “Não fica desleixada? Acho que a Elsa para além de não ser bonita tem sempre um ar foleiro”.

 

A Vandinha , que não é uma moça superficial e que se preocupa com o meu interior,  também já disse muitas vezes para ter cautela, que o meu homem deve estar a modos que a dar de fosques. Já desejou que nunca parisse uma criancinha neste mundo (se já tenho pernas de Popota com problemas de circulação,  imagine-se na gravidez? Sempre zelando por mim esta Santa…) .

Já me catalogou como dondoca (ADORAVA, CONFESSO!) e num campo menos emocional já sugeriu que operasse o nariz de forma a ficar mais harmoniosa no feed do instagram. Já me mandou esticar o cabelinho, porque andar com uma esfregona rançosa em cima da cabeça não está com nada, e já fez questão (mais do que uma vez) de me alertar para o facto de não ter jeitinho nenhum para escrever. Não fosse eu ter ideias tresloucadas como escrever um livro, ou ser jornalista. Ups, já sou jornalista... pois é. 

Ora o que é que alguém pode querer mais se não isto? Uma amizade sincera, presente, assídua, honesta até mais não? Nada. Absolutamente nada. E é neste seguimento de ideias que hoje, prestes a fechar a porta para festas e enfardanço , que tinha de cá vir dizer que 2017 não teria sido “isto” sem a minha Vanda. Sem o seu aceno diário, sem o seu comentário maldoso fofinho, sem a sua visita quentinha ... (ino)oportuna.

 

Querida Vandinha, um Santo e feliz Natal para si e para os seus, sim?

Continue a praticar o bem, a zelar pelo próximo... Tenho a certeza absoluta que o universo está atento, e que o Pai Natal está a ver.... Terá muitos presentes no sapatinho,  e um 2018 carregadinho de tudo aquilo que tão intensamente deseja aos outros. 

 

LOVE*

Elza 

 

3 comentários

Comentar post