Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quando o pé é um "sem número" e o teu corpo um "sem tamanho".

Eu não sei se isto é uma coisa que vos acontece a todas/os, se estou aqui armada aos cucus, e afinal somos todos farinha do mesmo saco, mas o certo e sabido é que isto é um problema que me apoquenta. Que me limita até, e faz pensar que este corpinho foi muito mal amanhado na hora “das costuras”, de acertar os pontos e alinhavos. Porquê? Passo a explicar. Eu, Elza Cordeiro, sou uma pessoa cujo molde está ainda por inventar. Sou uma pessoa sem número de pé, sem tamanho de traparia, sem nada! E o problema é que isto se repete todos anos, exactamente com as mesmas peças... um karma.

No outro dia, na Mango, vi este modelito e babei. Bem sei que é uma peça “txanam”, fora dos meus “brancos,  cinzentos, e pretos básicos”, mas bati o olho e caí de banda! Ora bem, o que é que acontece? Acontece que experimentei o S e ficava-me “impacábel”. Mas depois, quando fechava o casaco, ali na zona das maminhas, o tecido “arrepelava” todo. Ficava apertado, e lembrei-me logo da senhora dona Mãe dizendo “se vestes uma camisolinha mais grossa por baixo, já não fecha!”. Posto isto experimentei o M. Fechava que era uma beleza, mas ficava a boiar no corpo. Nos braços, nos ombros…um entroncho! Mais uma vez, sim porque isto acontece-me mil vezes em relação aos casacos, voltei para casa de mãos a abanar e de pequeno órgão vital abananado. Esqueci. A vida seguiu o seu caminho, e o coração recompôs-se.

 

Há dias, estava eu na Zilian do Chiado, quando vejo estes botins. Gostei tanto, tanto, deles que entre a funcionária ir lá dentro “ver se havia” e regressar com dois pares na mão, rezei seis pai nossos e sete ave marias.

 

Havia! Alegria. Experimentei o 37. Dançava o "bailando" do pé. “E se colocar uma palmilha?” sugeriu a senhora, sabendo o desgosto que é para uma mulher “deixar escapar” um amor destes… Venha de lá essa palmilha! Continuava largo. “E o 36?”. O 36 estava pequeno. Calço SEMPRE 36 ou 37… havia ambos na loja mas nenhum encaixava neste pau-seco. Sim, porque com tanta parte do corpo que poderia perfeitamente ser seca (tipo as ancas), tinha LOGO que me calhar o pé, que não interessa ao Diabo! 

 

Posto isto chego à conclusão que sou uma pessoa desengonçada. Feita às pressas (não mamã, não vou contar às pessoas que fui feita rapidinho), e que houve muito pouco vagar durante a minha concepção. Pouco "preceito" nos retoques e detalhes.

Continuo sem poder comprar o casaco, que vejo em todas as lojas da marca. A esquecer o bom do sapato,  que ainda por cima estão a metade de preço.

E vocês “migas”, foram talhadinhas por medida, ou tal como eu, sofrem destes infortúnios?

 

Contem!

 

 

 

8 comentários

Comentar post