Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Podia ter resultado num tomate (biológico) cravado no meio da testa? Podia

Minhas amigas, este é sobretudo um post de gratidão e vai daí  ''uma pontinha de inveja''. Quem me dera a mim ser assim tão calma... tão low profile. Nunca serei, nem que despache toda uma horta biológica por dia. Nem que vire a rainha do ''sem-glúten sem-lactose sem-gordura sem-açúcar nem-NADA''. É impossível!

Não estão a perceber patavina, pois não? Passo a explicar.

Pois que o supermercado ''Miosótis'', em Lisboa, é assim um dos meus sítios favoritos para fazer compras ''de frigorifico''. Fica ali perto do El Corte Inglês, na Latino Coelho, e tem tudo aquilo que possam imaginar, mas numa versão saudável, tipo melhor amiga (de infância) da nossa saúde! 

Neste supermercado quase tudo é biológico, porém um pouquinho mais barato do que o Celeiro, o Brio, e Terra Pura... por aí.

Melhor parte de todas? Tem parque de estacionamento gratuito, o que no centro da cidade vale mais do que promoção ''pague 1 leve 4''. 

Até aqui tudo normal, não fosse esta que vos escrever ser a pessoa mais desajeitada, mais atabalhoada, mais desastrada que Deus ao mundo deitou. Porquê? Porque das duas míseras vezes que tentei pôr o carro no estacionamento fiz figuras tristes. 

 A primeira aconteceu há pouco mais de um mês. Vinha distraída (que é como quem diz no meu estado normal), e não reparei na luzinha acesa que autoriza (ou não) a entrada no parque. Estava vermelha mas lá fui eu rampa a baixo até me cruzar com o carro que tentava sair (aquilo só tem uma via de acesso), e acabei empatando o trânsito todo!!! 

Ninguém conseguia entrar, ninguém conseguia sair.. eu não podia recuar porque a cancela já estava  baixa, enfim... um filme! O desgraçado que tentava sair do parque já tinha mais meia dúzia de carros atrás dele, eu a mesma coisa, e ali ficámos uns bons 10/15 minutos à espera que o segurança chegasse para resolver o berbicacho, ou a minha aselhice, vá.

Durante estes 10 minutos ferveu-me o sangue! Pensei que ia ouvir buzinadelas a torto e direito, que iria levar com um abacate biológico no meio da testa ou com um pacote de bolachas sem glúten no vidro do carro. Mas não! Ninguém protestou, toda a gente esperou calmamente, e a única pessoa que estava ali em nervos era eu! 

Fiquei agradavelmente surpreendida, agradeci a simpatia/ paciência, e lá voltei para casa muito encavacada! Acabei por estacionar cá fora, tal era a vergonha que estava a sentir.

 

Hoje voltei ao bom do Miosótis e lá estava a luzinha acesa. Esperei que ficasse verde, desci, fiz compras... tudo muito lindo. Na hora de sair, perto da cancela, um aviso ''coloque a chapinha na ranhura''. Oi? Qual chapinha? Eu não tinha porra de chapinha nenhuma!!! Respirei fundo, jurei a mim mesma que NUNCA mais me enfiava naquele parque embruxado, e saí do carro, percebendo que atrás de mim já se acumulava fila. Outra vez!!!!

O rapaz no carro atrás lá se ofereceu para me ajudar. Deu-me a chapa dele, e voltou ao supermercado para levantar mais uma! Enquanto isso nem uma apitadela, um insulto, nada!

E a história acabou aqui? Pois com certeza que não!!!! A porcaria da chapa tinha um jeito manhoso de enfiar e eu, que já me estava a passar e que não queria acreditar no que me estava a acontecer outra vez, não conseguia enfiar aquela bodega no buraco!  Lá voltou o rapaz para me ajudar, de sorriso na cara, e certo de que estava a cumprir o seu dever cívico. Afinal, ninguém nega ajuda a uma atrasadinha mental!

 

Voltei para casa, enervadíssima, enquanto todos os outros seguiram na paz do senhor. Calmos, prestáveis, como se fossem três da tarde, num Domingo de sol. Só que é quinta-feira, eram oito da noite, e chovia a cântaros! 

 

Tenho cá para mim que é dá comida ''no-glúten no-carbs no-sugar no-TUDO''! É que só pode! 

 

Obrigada pessoas queridas que frequentam o Miosótis. Tenho a certeza que, mal virei costas, gozaram  muito comigo e que até já se referem à minha pessoa como a ''maluquinha-desajeitadona do parque de estacionamento''. 

Mas pronto, não faz mal. Afinal, não é mentira nenhuma. 

 

Love*

Elza