Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Explico-vos a minha ausência prolongada desta forma:

Sexta feira (aquele dia que o mundo venera assim de um modo geral): Acordar, despachar o pequeno almoço em três pancadas (eu, que A-DO-RO tomar o pequeno almoço em chique), e perceber que o meu frigorifico se assemelha, e muito,  aos cofres de estado. Que pobreza...

Enfiar-me no carro e correr para o trabalho (tendo a luzinha da reserva por companhia).

Escritório. Computador. Dez da manhã. Duas da tarde... reunião (almoço enfiado no estômago em 10 minutos, enquanto envio dois ou três emails). Olhos vidrados no computador..... oito da noite! 

Sair a correr para aniversário de cunhada mái nova (sem tempo sequer para me arranjar), passar por casa, enfiar um casaco, e voar para o restaurante (enquanto o corpinho gritava por cama e mantas). Jantar até à meia noite e picos, beijinho ao namorado mais querido e compreensivo da (minha) história, e cair morta na cama.

 

Sábado (aquele dia que eu costumava venerar assim de um modo geral): Dia de directo! Acordar, sair para tomar o pequeno almoço (mas sempre de olhos postos no relógio), estúdio! Estúdio... e mais estúdio... ensaio, programa, uma da matina! Casa. Estado de coma.

 

Domingo (as 24horas mais familiares da semana): Gravações em Leiria. Acordar, já sem nada para comer, passar pelo Starbucks (o meu delicioso s.o.s) e enfiar-me na carrinha de produção. Leiria todo o dia! 

Chegar a casa já de noite, preparar uns cogumelos salteados e adormecer no sofá. 

 

Hoje (Sem descrição possível): Acordar pedrada de sono e perceber que Deus é pai, por colocar milagrosamente uma pêra e um iogurte na última prateleira do frigorifico. Comer (não a correr porque já não restam forças para isso) e vir trabalhar.

Preparar relatório do fim de semana e esperar pela reunião que começa daqui a pouco. 

 

E é este o resumo dos meus últimos dias. 

 

Ah, esqueci apenas de dizer que me sinto muito feliz assim, o que eleva este texto a um nivél de esquisofrenia um tanto assustador.

Porque este cansaço vale a pena. Porque sinto que é este o caminho... o certo. O meu. 

Bom dia pessoa queridas.

 

Hoje  e amanhã (o meu dia de folga), mais novidades no blog! 

 

 

Love*Love*Love 

2 comentários

Comentar post