Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O motivo é só um: Não me apetece. (E o pernil é que se lixa!)

Como vocês estão carecas (carecas não, pela vossa rica saúde!) de saber, eu ADORO praticar desporto. E não, não vou entrar na lenga lenga da saúde e do bem estar, até porque como já vos disse várias vezes (aqui, ou aqui ou aqui), na minha opinião aquilo que leva a mulherada para os ginásios é a banhufa que dobra ali por cima do botão das calças. É o rabiosque versão ''Pudim boca doce'', é a balança cada dia mais embirrante! É, ou não é? Pois com certeza que é.

DEPOIS, muitoooo depois,  é que uma pessoa descobre que aquilo até alivia o stress,que limpa a cabeça, etc e tal. Numa primeira fase a malta quer é enrijar as carnes e estreitar as linhas!Ponto. 

 

Isto para dizer que o desporto sempre fez parte da minha vida, que fui atleta federada durante quase 15 anos, mas que aquilo que o ginásio me dá e que me aconchega o coração é mesmo o corpitxo maaaaais ou menos no sítio! É a liberdade de me alambazar com duas taças de arroz doce da dona mãe e não pensar muito no assunto. ''Depois malho para compensar'', repito-me.

E porque é que vos estou a dizer isto? Porque sempre treinei no mínimo 4-5 vezes por semana e porque preguiça foi coisa que (quase) nunca me assistiu. Sou capaz de acordar às 5h50 na boinha para pedalar antes de ir trabalhar, ou de me levantar a um sábado cedinho para me abanar toda numa qualquer aula cheia de mulherio.

Acontece que há precisamente 1 mês e 3 semana que não ponho os coutos no gym. Tanto ou tão pouco que o senhor da recepção me telefonou ontem a perguntar se estava tudo bem, ou se estava insatisfeita com alguma coisa. Isto porque o meu gráfico de assiduidade caiu por ali a baixo. (Nem sabia da existência deste gráfico, senti-me um bocadinho como na escola!). 

Lá lhe expliquei que estou viva, de boa saúde, e que não fui atropelada à saída do parque de estacionamento, onde tantas vezes levei buzinadelas valentes.  Basicamente, não vou porque...não me apetece. Só.

Sinto que o corpo (e a alminha) pediu uma pausa e eu respeitei. Ando numa fase de mudança (em muitos aspectos da vida) e assim de repente o exercício ficou em segundo plano. 

Não posso dizer que esteja a sentir-me fisicamente espectacular, mas a verdade é que neste momento não estou muito preocupada com isso. Tenho de arrumar outras gavetas do pequeno órgão vital, orientar coisas práticas e tomar decisões... e nisto o treino a bem dizer não me interessa muito.

Contudo, e porque os anos me mostraram que treinar ajuda muito no processo ''limpeza mental'', preciso voltar ao meu QUERIDO Solinca e arrebitar! 

Com calma, até porque quero reduzir o exercício para 2 vezes por semana (3 na loucura), e sem stress. Sem pressão e sem metas.... 

É isso que me apetece agora: abrandar o ritmo e focar-me noutras coisas. 

 

Um conselho daqueles mesmo, mesmo, bons, meninas: há coisas mais importantes do que ter um corpão do caraças. Treinem, comam bem, mas não deixem de ser felizes. Até porque foi Deus quem criou a pizza... e nem o Papa Francisco resiste. 

 

 

Love*

Elza 

3 comentários

Comentar post